Satyaprem – texto do Blog de 19 de julho

quinta-feira, 21 julho , 2011 postado por keli

Note que mesmo quando você tenta meditar…

A mente propõe a lógica de que precisamos de tempo para chegar onde idealizamos. Baseada na ideia de que as coisas acontecem através de um desenvolvimento no tempo, ela considera que se algo errado foi feito, o mesmo tempo levado para a realização será necessário para a correção do erro. Digamos que você tenha cometido um engano por vinte anos… A lógica da mente é que você precisa de mais vinte anos para corrigí-lo. Mas isso é verdade?

Proponho que você seja absolvido desse processo. Note que está perdendo tempo e, principalmente, questione-se a respeito do que está tentando corrigir. Você ainda tem a ideia de que corrigindo seus erros se tornará puro e entrará finalmente no agora. Mas a noção de evolução espiritual é uma história contada pelo ego; é uma história contada pelo pequeno você – é ele quem inventa as histórias, as religiões, as seitas… e, claro, se reinventa freneticamente.

O pequeno você não quer morrer de maneira nenhuma, mas estou aqui para propor que ele desapareça, apresentando uma única seta: olhe para dentro e veja se dentro você encontra algum “eu”.

Antes de tudo, saiba que dentro é sinônimo de agora. Por isso reforço que somente agora é possível olhar para dentro. Mas você prorroga, acreditando que depois que terminar de pagar a última parcela do seu apartamento estará pronto para olhar para dentro; sem se dar conta de que qualquer conteúdo encontrável o leva a um outro lugar que não aqui, que não agora.

Note que mesmo quando você tenta meditar, ao fechar os olhos, um vasto conteúdo não examinado salta em seu campo de percepção. A grande maioria das pessoas acredita e aplica que você deve examinar e eliminar esses conteúdos, enquanto Satsang nos diz que devemos apenas notar que todo o conteúdo provém do passado e que aqui e agora nem o passado e tampouco seu conteúdo têm a menor relevância.

Satyaprem

categorias Comum | No Comments »

Compartilhe!

Satyaprem – A mente não observa

segunda-feira, 18 julho , 2011 postado por keli

Participante – Satyaprem, se estou no controle das emoções, como faço para observar estas emoções?

Não há controle das emoções, mas uma desidentificação com elas. Você precisa ficar muito atento, porque não há nenhum propósito em controlar as emoções. As emoções nascem de um agente provocador. O que estou esclarecendo aqui é que as emoções não têm nada a ver com quem você realmente é. Então, observe!

Participante – E o que seria observar?

Seria observar sem que tenha alguém observando.

Participante – Do contrário, é a mente.

Sim – e a mente não observa, ela julga. Raiva surge em seu campo sensorial e a mente diz “Eu não deveria estar com raiva”. Isto não é observação. A observação possibilita a investigação de quem está com raiva e a visão de que, diante da revelação de sua origem, a raiva e o que decorre dela somem.

Na observação não há qualquer preocupação com a raiva – há um movimento muito mais alongado em que tudo é aceito incondicionalmente.

Comece a observar e veja que não tem ninguém observando, nem nada para ser observado. Só há observação, em si. Ninguém sabe o que está acontecendo.

Satyaprem – texto do livro “Você é o Buda”.

categorias Comum | No Comments »

Compartilhe!

Jeff Foster

terça-feira, 12 julho , 2011 postado por keli

Beloved Keli um presente para você: de Safi

“Love is all that’s left when all else has fallen away. It’s not a feeling, not a state, not a passing experience. It is the ground of all things, the open space that holds all forms as they arise and pass. It has no opposite – it holds all apparent opposites, allows them all to be. You can’t say what it is – you can’t say what it is not. In the end, you can’t say anything. And yet all words are held here too…”
Jeff Foster

categorias Comum | No Comments »

Compartilhe!

Encontro de Meditação – 16 de julho – Sábado

terça-feira, 12 julho , 2011 postado por keli

Mais informações clicar flyer abaixo.

Inscrições e informações com Keli
amritakeli@uol.com.br
(11) 7296 0999
(11) 3826 4147

Osho Meditation São Paulo
convida
Encontro de Meditação

Dia 16 de julho de 2011

Compartilhar as deliciosas Meditações de Osho é o nosso convite para a tarde deste sábado! E celebrar este forte Campo de Energia de Buda, com amigos, na Presença.

Um lindo vídeo de Osho, chazinho e aquele bolo de chocolate!!
Bolo de aniversário da Keli! Em eterna gratidão! E eterno amor!
Namastê!

http://www.facebook.com/oshomeditationsaopaulo

categorias Encontro de Meditação, Heart Chakra, Keli, Kundalini, Osho, Vila Madalena | No Comments »

Compartilhe!

Lançamento do Livro "Você é o Buda" por SATYAPREM

segunda-feira, 11 julho , 2011 postado por keli

Para mais infos clicar no flyer abaixo!

categorias Comum | No Comments »

Compartilhe!

Satsang com Satyaprem de julho a agosto

segunda-feira, 11 julho , 2011 postado por keli

Mais informações, favor clicar no flyer ao lado!

Satsang aberto SP
28 de julho, quinta-feira
R. Madalena, 145 – Vila Madalena
Valor: 40,00

Satsang Intensivo SP
29, 30 e 31 de julho
R. Madalena, 145 – Vila Madalena

Satsang aberto SP
3 de agosto, quarta-feira
R.Madalena,145 – Vila Madalena
Valor: 40,00

Retiro de Satsang: Transmissão Especial – Joanópolis (SP)
5,6 e 7 de agosto
Hotel Ponto de Luz – Joanópolis (SP)

Mais informações

Keli
(11) 3826 4147
(11) 7296 0999
amritakeli@uol.com.br

www.satyaprem.com

categorias Buda, espiritualidade, Osho, Satsang, Satyaprem | No Comments »

Compartilhe!

Satyaprem ( diário 7/7/2011 )

sexta-feira, 8 julho , 2011 postado por keli

Brasil, 07/07/2011

Quando falamos em limites ficamos presos às coisas delimitadas.
O limite do ilimitado se chama plenitude.
O ilimitado do ilimitado é chamado de vazio.
O Tao é a ponte entre ambos, mas não é – em si – nem plenitude, nem vazio.
O Tao produz tanto a renovação quanto o desgaste.
Mas a maioria das pessoas entaladas no cartesianismo só querem o Tao como renovação, e não como desgaste.
Isso é impróprio, irreal.
O Tao não é nem a renovação, nem o desgaste.
Embora a renovação e o desgaste apareçam nele.
O Tao produz o Ser e o não-ser, mas não é nem um, nem outro.
O Tao congrega e destrói, mas não é nem a totalidade, nem o vácuo.
Tem pessoas que dizem: “Se a Consciência é tudo, então esse corpo também é Consciência”.
E eu digo: sim, é, mas não é.
Eu não entendo Chuang Tsu.
Chuang Tsu sou eu.
Isso é Tao.

Satyaprem
www.satyaprem.com

categorias Comum | No Comments »

Compartilhe!

I´ve never felt this love before…. facebook Lakini Prem

domingo, 3 julho , 2011 postado por keli

Your sun, it rises Lord,
It rises in my house of Love!!
Your sun, it rises Lord,
It rises in my house of Love!!
Oh! I’ve been searching for you
…Every night and day…
Oh! I’ve never felt this love,
Oh! I’ve never felt this love…
Oh! I’ve been waiting for you every night and day
Oh! I’ve never felt this love, never felt this love…
Fotos do mural

categorias Comum | 1 Comment »

Compartilhe!

Desenvolvido por O Tao do site