Satyaprem

segunda-feira, 12 setembro , 2011 postado por keli

Vá até a beira de um rio e fique olhando, veja o rio.
Qual é a natureza do rio?
O que ele faz?
O que acontece com ele?
Ele nunca é o mesmo.
Porque, então, você exige de si, ser sempre o mesmo, ser consistente, coerente?
Você é um rio – um rio de emoções, de pensamentos -, um fluxo.
Tudo o que você pode chamar de “você” é um fluxo.
E, por incrível que pareça, esse fluxo que você chama de você, não é você.
Pois, quem é aquele que observa o fluxo?
Há um constante fluxo de emoções, pensamentos, sensações, sentimentos…
E a essência da Meditação é voltar-se para dentro de si, observar aquilo que É, e não mais se confundir com aquilo que não é.

Satyaprem

categorias Comum | Ainda sem comentários, seja o primeiro! »

Compartilhe!

Deixe uma resposta

Desenvolvido por O Tao do site